segurança

BLOG CRIADO PARA DIVULGAR A ATUAÇÃO DOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA PÚBLICA DO BRASIL, QUE 24 HORAS POR DIA, 7 DIAS POR SEMANA, ATUAM NA DEFESA E NA PROTEÇÃO DA SOCIEDADE.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Pintor é preso com armas, munições, droga e colete em casa em Piracicaba

DIG recebeu denúncia anônima sobre armazenamento de entorpecentes.
Suspeito de 27 anos foi ouvido e encaminhado para o CDP do município.

Do G1 Piracicaba e Região

Material foi apreendido por policiais da DIG na casa do suspeito em Santa Terezinha 
(Foto: Divulgação/DIG)

Um pintor de paredes de 27 anos foi preso na manhã desta quarta-feira (17) no bairro Santa Terezinha, em Piracicaba (SP). Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) encontraram armas, munições, drogas, um colete à prova de balas, balança de precisão e pinos para armazenar entorpecentes na casa do suspeito.

Segundo informações do boletim de ocorrência, uma denúncia anônima levou os investigadores ao imóvel. Em buscas pela residência, os policiais civis encontraram uma pistola calibre 380 e dois revólveres calibre 38, além de balança digital, dois tijolos de maconha e 60 munições.

O pintor prestou depoimento ao delegado Fernando Marcos Dultra, que determinou a prisão em flagrante. O homem responderá pelos crimes de tráfico de drogas, posse irregular de arma de fogo de uso permitido e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Piracicaba, segundo a Polícia Civil.

fonte: g1.globo.com

Polícia Federal apreende 83 kg de pasta base em Barra do Garças/MT

Polícia Federal apreende 83 kg de pasta base em Barra do Garças

Cuiabá/MT - A Polícia Federal apreendeu nesta quarta-feira (17), 83 kg de pasta base de cocaína em Barra do Garças.
A droga era transportada em uma carreta que vinha sem carga de Pontes e Lacerda, e estava acondicionada embaixo de um assoalho falso no veículo. Após o recebimento de informações anônimas, equipes de policiais dirigiram-se a entrada da cidade e efetuaram a abordagem ao veículo.
O motorista foi preso em flagrante por tráfico de drogas e após ser ouvido na Delegacia de Polícia Federal, foi recolhido à cadeia pública local.
Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso

Polícia prende 33 acusados por tráfico na Grande SP

Investigação durou 30 dias até a prisão de membros de facção criminosa

google imagens



A Polícia Civil prendeu 33 pessoas e apreendeu nove adolescentes durante cumprimento de mandados judiciais de prisão na região de Mogi das Cruzes, na Região Metropolitana de São Paulo, entre quinta-feira (18) e esta sexta (19).

Ao todo, 70 policiais civis participaram da ação. Os presos foram acusados de tráfico de drogas, na maioria, mas houve duas prisões por porte de armas de fogo e dois foram acusados de assaltos. Segundo o delegado seccional de Mogi das Cruzes, Marcos Batalha, os presos são colaboradores da facção PCC (Primeiro Comando da Capital), organização que atua dentro e fora dos presídios paulistas.

Os pedidos de prisão, feitos pelo Ministério Público, foram obtidos depois de cerca de 30 dias de investigação, ainda segundo a polícia de Mogi.

Além das prisões, os agentes cumpriram 25 mandados de busca e apreensão em locais apontados como estoques ou pontos de venda de entorpecentes. Apreenderam cerca de 2,1 mil pinos com cocaína, 411 trouxinhas de maconha além de embalagens com crack e frascos de lança-perfume.

Os presos foram encaminhados para os Centros de Detenção Provisória de Mogi das Cruzes e de Suzano. Os adolescentes detidos foram para unidades da Fundação Casa.

FONTE: R7.COM

terça-feira, 16 de setembro de 2014

PF apreende mais de 220kg de crack em Presidente Prudente/SP

PF apreende mais de 220kg de crack em Presidente Prudente/SP

Presidente Prudente/SP - A Polícia Federal apreendeu na madrugada desta segunda-feira (15/9), na Rodovia Raposo Tavares, na região de Presidente Prudente/SP 226,1 kg de crack.
A droga foi localizada em um compartimento oculto em um dos tanques de combustível de uma carreta, preparado justamente para o acondicionamento dissimulado de substâncias ilícitas.
Segundo o motorista do veículo, o derivado de cocaína foi carregado no município de Ponta Porã/MS e tinha como destino o Porto de Santos/SP.
Diante da apreensão da droga, o motorista foi encaminhado à Delegacia de Polícia Federal em Presidente Prudente/SP, onde foi devidamente autuado em flagrante delito por tráfico de substâncias entorpecentes e, na sequencia, encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Caiuá/SP, onde permanece à disposição da justiça.


Fonte: Comunicação Social da PF em Presidente Prudente/SP

DENARC Pato Branco/PR apreende droga sintética e maconha


DENARC Pato Branco apreende droga sintética e maconha

            Policiais civis da Divisão Estadual de Narcóticos (DENARC) do Núcleo de Repressão ao Tráfico Ilícito de Drogas de Pato Branco, sob o comando do delegado Leonardo Guimarães, prenderam em flagrante Maico Fernando Soeiro Gorlin, 22, pelo cometimento do crime de tráfico de drogas, corrupção de menores e resistência.

            A prisão ocorreu no final da manhã do último dia 12, ocasião em que Gorlin foi até a rodoviária de Pato Branco para retirar uma encomenda numa empresa de ônibus. Ao receber voz de abordagem o suspeito tentou fugir e não conseguindo, tentou agredir os policiais, que o imobilizaram. Ao revistar a encomenda que havia retirado, os policias encontraram 140 comprimidos de ecstasy. No veículo do suspeito foram encontradas mais de 270 gramas de maconha e uma balança digital de precisão.

            Leonardo Guimarães informa que a encomenda que continha a droga sintética estava registrada em nome da namorada de Gorlin, uma adolescente de 17 anos. Questionada sobre os fatos relacionados à droga, a adolescente disse não saber de nada, porém, em seu telefone celular foram encontradas várias mensagens que continham negociação de drogas.


            De acordo com o delegado da DENARC, Gorlin, além de ser indiciado por tráfico de drogas, também foi indiciado pelo crime de corrupção de menores, pois corrompeu a adolescente para que com ele praticasse o crime de tráfico de drogas, e pelo crime de resistência, por que se opôs, mediante violência, a um ato legal emanado por servidores públicos. Já a adolescente responderá por ato infracional correspondente ao crime de tráfico de drogas.

Fonte: PC/PR - DENARC PATO BRANCO

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Polícia apreende fuzil de uso restrito durante abordagem a carro no RS

Dois homens foram presos após abordagem policial em Porto Alegre.
A arma estava no banco de trás de um veículo de Novo Hamburgo.

Maria Maurente e Vanessa FelippeDa RBS TV

Fuzil foi apreendido em carro em Porto Alegre (Foto: Vanessa Felippe/RBS TV)

A Brigada Militar apreendeu no fim da tarde deste sábado (13) em Porto Alegre um fuzil de calibre 556 de uso exclusivo das forças armadas. A arma está registrada como importada do Canadá, tem alcance de 600 metros e, segundo os policiais, fura com facilidade o colete usado pela BM. Dois homens foram presos.

O fuzil foi apreendido durante uma patrulha de rotina, quando os policiais abordaram um carro que consideraram suspeito. A arma estava no banco de trás do veículo Honda Civic com placas de Novo Hamburgo.

O homem que disse ter comprado o fuzil tem antecedentes criminais por tráfico de drogas. O outro tem antecedentes por furto. Os dois serão apresentados na 3ª DDPA. A polícia desconfia que eles estavam sendo conduzidos para a saída da cidade por uma motocicleta que trafegava na frente, pois a moto dava sinal para o carro, o que gerou a desconfiança da patrulha. O motociclista conseguiu fugir da abordagem.

fonte: g1.globo.com

Em Joinville: Pistola de calibre exclusivo das Forças Armadas é apreendida por policiais militares do 8º BPM

Por volta das 14h25min de ontem(11), policiais militares da 2ª Companhia do 8º Batalhão de Policia Militar (BPM), após denúncias de posse ilegal de arma de fogo, deslocaram até uma residência na travessa Maria Brito da Maia, no bairro Aventureiro, em Joinville, e durante abordagem encontraram no local duas pistolas.

Uma das armas é de uso exclusivo das Forças Armadas: trata-se de uma pistola calibre 45, de fabricação italiana, da marca Tanfoglio, que estava carregada com oito munições.

A outra arma apreendida pelos policiais possui calibre 380, é de fabricação nacional, marca Taurus, e também estava carregada com oito munições.
Em seguida, os policiais encontraram uma bucha de maconha, doze munições, sendo que seis de cada calibre, e uma espada estilo Catana com um metro de comprimento total.

O responsável pelo imóvel, ao perceber a presença policial tentou fugir, mas foi detido pela guarnição. Com ele foi encontrado um celular, um torrão de maconha, R$ 504,00 em cédulas e R$ 6,00 em moedas.
Segundo as denúncias, o abordado é um dos quatro autores do assalto ocorrido no domingo (07), às 21h, em uma panificadora, sendo que na propriedade do suspeito foram encontrados vários comprovantes de pagamento, via cartão de crédito, em nome deste estabelecimento comercial.

Diante dos fatos, o homem de 23 anos foi preso e encaminhado para a central de polícia. Ele possui passagens criminais por fraude, e uso e tráfico drogas.
(Texto: soldado Luciano da Silva P-5/8ºBPM. Fotos: 2ª sargento Jones Day Ribeiro Pinto – 2ª Cia/8ºBPM)
fonte: PM/SC

Delegado do DHPP é baleado e morto na zona leste de São Paulo

Dois suspeitos em uma moto teriam realizado os disparos contra o agente na noite de sábado

Do R7
O delegado Francisco Magano, do DHPP, da Polícia Civil de SP, foi enterrado ao meio-dia deste domingo (14)
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Um delegado do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) morreu após ser baleado na noite desse sábado (13), na Penha, zona leste de São Paulo. De acordo com um funcionário do 10°Distrito Policial da Penha, Francisco de Assis Camargo Magano morreu no Pronto Socorro do Hospital Tatuapé. Até o momento ninguém foi preso ou identificado pela polícia. 

Segundo policiais que estavam na ocorrência, o delegado, de 49 anos, estava de carro, junto com uma amiga, quando foi atacado por bandidos. Uma testemunha disse que dois suspeitos estavam em uma moto. Um deles desceu e deu o primeiro tiro quando o delegado estava em pé, ao lado do veículo. A vítima caiu no chão e foi atingida por mais três tiros. Ainda de acordo com a polícia, os criminosos fugiram levando o carro e as armas do delegado. 

A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. O carro roubado foi abandonado a 5 km do local do crime. Dentro dele, a perícia encontrou uma arma. Foram recolhidas impressões digitais e a policia também vai pedir imagens de câmeras de segurança da rua. O caso será investigado pelo DHPP. Elisabete Sato, diretora do departamento, já esteve no local para realizar as primeiras análises.

Para os investigadores que atuam no caso, a hipótese mais forte para a morte do delegado é de latrocínio (roubo seguido de morte). 

O delegado Magano era filho de um desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo e irmão de um juiz. 

Fonte: r7.com

Operação conjunta busca prender 24 PMs suspeitos de corrupção no Rio

Policiais controlavam transporte irregular e venda de produtos piratas.
Um dos detidos é o chefe do Comando de Operações Especiais.


Do G1 Rio

O coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira foi um dos detidos na operação
 (Foto: Reprodução/TV Globo)



Uma operação para prender 24 policiais militares suspeitos de participarem de um esquema de propinas na Zona Oeste do Rio é feita nesta segunda-feira (15) em vários pontos da cidade. A ação, batizada de Operação Amigos SA, é comandada por agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, e conta com apoio da Corregedoria-Geral da Polícia Militar, e doGrupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, e visa cumprir ao todo 25 mandados de prisão e 43 mandados de busca e apreensão. Às 10h, 21 pessoas já tinham sido presas, inclusive o ex-comandante coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira, que é o chefe do Comando de Operações Especiais (COE) da PM.

O oficial é considerado o terceiro homem na hierarquia da PM e foi preso em casa no Leme, Zona Sul do Rio. Outro oficial que teve a prisão confirmada é o major Carlos Alexandre de Jesus Lucas, também lotado no COE. Na casa de outro oficial, o major Edson Alexandre Pinto de Góes (coordenador de Operações), os agentes encontraram uma grande quantia em dinheiro. O oficial não foi encontrado no local.

Grande quantia em dinheiro foi apreendida na casa do Major Edson. (Foto: Divulgação / Secretaria de Segurança)

Segundo nota do MP, os PMs integravam o 14° BPM (Bangu), inclusive os integrantes do Estado-Maior, e exigiriam pagamento de propina de comerciantes, mototaxistas, motoristas e cooperativas de vans, além de empresas transportadoras de cargas na área do batalhão. As propinas variavam entre R$ 30 e R$ 2,6 mil e eram cobradas diária, semanal ou mensalmente, como garantia de não reprimir qualquer ação criminosa, seja a atuação de mototaxistas, motoristas de vans e kombis não autorizados, o transporte de cargas em situação irregular ou a venda de produtos piratas no comércio popular de Bangu.

Os mandados de prisão contra os PMs foram expedidos após denúncia encaminhada pelo GAECO à 1ª Vara Criminal de Bangu. Entre os denunciados estão seis oficiais que eram lotados no 14° BPM (Bangu): o ex-comandante coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira e o ex-subcomandante major Carlos Alexandre de Jesus Lucas – ambos lotados atualmente no Comando de Operações Especiais –, os majores Nilton João dos Prazeres Neto (chefe da 3ª Seção) e Edson Alexandre Pinto de Góes (coordenador de Operações), além dos capitães Rodrigo Leitão da Silva (chefe da 1ª Seção) e Walter Colchone Netto (chefe do Serviço Reservado). Também são acusados de integrar a quadrilha 18 praças e um civil.

Ainda de acordo com a nota do Ministério Público, entre 2012 e o segundo semestre de 2013, os acusados e mais 80 pessoas, entre os quais policiais do 14° BPM, da 34ª DP (Bangu), da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), além de PMs reformados, praticavam diversos crimes de concussão (extorsão cometida por servidor público) na área de atuação do 14° BPM.

De acordo com a denúncia, baseada em depoimentos de testemunhas, documentos e diálogos telefônicos interceptados com autorização judicial que compõem mais de 20 volumes de inquérito, “o 14° BPM foi transformado em um verdadeiro ‘balcão de negócios’, numa verdadeira ‘sociedade empresária S/A’, em que os ‘lucros’ eram provenientes de arrecadação de propinas por parte de diversas equipes policiais responsáveis pelo policiamento ostensivo, sendo que a principal parte dos ‘lucros’ (propinas) era repassada para a denominada ‘Administração’, ou seja, para os oficiais militares integrantes ‘Estado Maior’, que detinham o controle do 14º BPM, o controle das estratégias, o controle das equipes subalternas e o poder hierárquico”.

O MP informou que os acusados responderão na 1ª Vara Criminal de Bangu pelo crime de associação criminosa armada, que não consta do Código Penal Militar. A pena é de dois a seis anos de reclusão. Os integrantes da quadrilha também serão responsabilizados pelo Ministério Público pelos diversos crimes de concussão, que serão apurados pela Auditoria de Justiça Militar estadual.

fonte - G1/RIO

GCM prendeu mais traficantes do que a PM neste ano

Enquanto a instituição municipal prendeu 255 pessoas em flagrante; a PM deteve 239 criminosos.




André Moraes
andre.moraes@jcruzeiro.com.br

Números divulgados pela Guarda Civil Municipal (GCM) de Sorocaba mostram que, apesar de não ter função de policiamento ostensivo, a corporação ligada ao Poder Público municipal prendeu mais pessoas por tráfico de drogas do que a Polícia Militar (PM). Segundo dados da GCM, repassados ao jornal Cruzeiro do Sul na semana passada, foram presas 255 pessoas em flagrante por estarem traficando entorpecentes na cidade neste ano, enquanto que a PM levou à prisão 239 pessoas por esse crime. Especialista em segurança pública declara que isso mostra que os guardas municipais estão sendo mais eficazes no combate deste ilícito do que os policiais, que possuem entre suas atribuições o policiamento ostensivo.

Em nota divulgada no último domingo pelo jornal, assinada pelo comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPMI), tenente-coronel Marcos Antonio Ramos, o policial declarou que a "responsabilidade para prender os traficantes é de competência da Policia Civil e da Policia Federal", não sendo essa a missão da Polícia Militar. Porém, mesmo assim, ele disse que a corporação conseguiu prender na cidade 239 pessoas por esse crime. Essa informações foram passadas por conta de um flagrante feito pela equipe de reportagem do Cruzeiro, de haver uma minicracolândia na avenida Dom Aguirre.

Nessa mesma ocasião, a GCM divulgou que os guardas, entre suas atribuições, realizam o patrulhamento preventivo, "que tem inibido ações delituosas em várias regiões". Por esse motivo, realizou 390 flagrantes de crimes neste ano, dos quais 255 foram por tráfico de drogas. Apesar de realizar esse trabalho de prevenção de crimes, isso não consta na lista de atribuições da GCM, conforme previsto na lei municipal nº 4.519/94.

Mais eficiente

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Sorocaba, o advogado Claudinei Fernando Machado, declara que as estatísticas reveladas pela GCM e PM de prisões por tráfico de drogas, mostram que a corporação municipal está agindo "com muito mais rigor" do que a polícia. Segundo ele, isso pode estar ocorrendo por uma defasagem no efetivo da PM em Sorocaba, algo que já vem sendo levantado por especialistas há alguns anos. "Como a GCM não sofre dessa situação, pois o Poder Público municipal está mais dentro da realidade da cidade, ele é mais efetivo na execução de medidas", relata.

Diante disso, ele aproveita que esse ano ocorrem as eleições e pede o apoio dos concorrentes ao pleito, para fazer com que o Estado cumpra sua obrigação de reposição de profissionais que atuam na segurança pública. "Não está havendo a correta reposição de profissionais, sendo que a Polícia Civil sofre disso também. É preciso conseguir que o Estado supra essa deficiência e é necessária uma ação política forte dos deputados estaduais da nossa região, no sentido de priorizar que o efetivo seja recomposto", afirma.

Em entrevista publicada na edição de ontem do jornal Cruzeiro do Sul, o prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) comentou sobre essa situação. "O maior número de prisões de narcotraficantes quem faz é a Guarda Municipal aqui em Sorocaba. Acho que estamos precisando aumentar o contingente da Polícia Militar, olhar a forma de proceder e aumentar o contingente da Polícia Civil", declarou o prefeito.

O presidente da OAB, Alexandre Ogusuku, entende que o fato de a GCM estar também prendendo traficantes significa que a corporação está unindo forças à PM, portanto vê isso como positivo. Ele informa, ainda, que existe um projeto no Congresso Nacional que deverá alterar as atribuições das guardas municipais do País, ampliando suas funções. "A Guarda e a PM devem estar harmonizadas trabalhando em prol da segurança da população. Tenho defendido que se tivermos uma guarda para proteger os próprios municipais, não precisamos dela então. Se for só para guardar os próprios, então seria mais fácil contratar seguranças. O que queremos é uma cidade segura", ressalta.

O comandante do 7º BPMI, tenente-coronel Marcos Antonio Ramos, afirmou, por meio da Seção de Assuntos Civis do batalhão, que desconhece os números da GCM. Porém, acrescenta que se a corporação municipal está prendendo traficantes, ele também vê isso como positivo, pois estaria auxiliando para tirar mais criminosos das ruas.

Atribuição da PM

O presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB Sorocaba também comenta sobre o fato de o comandante da PM ter afirmado que prender traficantes não seria a missão da PM. "A respeito da manifestação que ele enviou, que a situação de minicracolândia é de competencia da Polícia Civil e Federal, quero crer que tenha focado a sua manifestação pensando na questão da investigação. Se a manifestação do comandante focava exclusivamente na questão investigativa, realmente ele tem razão", diz.

Porém ele destaca que o comandante se equivoca, quando considera que a PM, como agente de autoridade, não deveria fazer prisões em flagrante do delito de tráfico. "Naquele local existe um crime sendo cometido e a PM tem dever constitucional de fazer com que o crime cesse. Ao não fazer isso, ela não está cumprindo a lei", afirma.

Na entrevista publicada ontem, o prefeito Pannunzio também se manifestou sobre esse fato. "Segurança ostensiva, o patrulhamento ostensivo nas ruas, é competência sim da Polícia Militar. Nós podemos ajudar, mas a Guarda Municipal não tem poder de polícia", disse Pannunzio.


Notícia publicada na edição de 14/09/14 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 004 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

fonte -jornal cruzeiro do sul