FELIZ NATAL

FELIZ NATAL
FELIZ NATAL E BOAS FESTAS

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Tigre ministra instruções sobre rapel para policiais da DHPP







Entre os dias 7 à 11 de dezembro, policiais Civis do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) ministraram, para os policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), instruções de rapel. O treinamento te como objetivo repassar aos policiais as regras básicas de segurança, uso correto e manutenção de equipamentos utilizados, além de técnicas de procedimentos em altura. 

Os policiais também receberam instruções sobre alguns tipos de nós e ancoragem. Após as aulas teóricas, os alunos colocaram em prática o curso realizando decidas simples, inicialmente em um prédio de quatro andares no Bairro Água Verde. Após a fase de adaptação, realizaram descidas do 13º andar de um prédio na região central de Curitiba, ambos cedidos para os treinamentos.

FONTE: PC/PR

PF apreende mais de 700 kg de cocaína em rodovia do MS



Campo Grande/MS – A Polícia Federal, na manhã de hoje (16/12), apreendeu mais de 700 kg de cocaína em Campo Grande, na BR 262, na altura do Distrito Industrial de Indubrasil.

A droga que estava oculta sob uma carga de ferro-gussa colocada na carreta em Corumbá/MS, tinha São Paulo como destino.

O motorista (47) foi preso em flagrante e conduzido à Polícia Federal para as medidas cabíveis.

Comunicação Social da PF no Mato Grosso do Sul
Telefone: (67) 3368-1105

CONCURSOS PARA GCMs DE MONTE MOR E PIRACICABA/SP



CONCURSO PRA GCM DE MONTE MOR/SP 

As inscrições podem ser realizadas até o dia 08 de janeiro de 2015, através do site www.indepac.org.br/concursos.

CONCURSO GCM DE PIRACICABA



A remuneração devida aos aprovados será de R$ 1.539,17, referente às jornadas de 40 horas semanais. Podem disputar estas colocações, profissionais que, além da escolaridade já citada, apresentem mais de 21 anos de idade, altura mínima de 1,65 m (homens) e de 1,60 m (mulheres), dentre outras exigências dispostas no edital.
Este concurso, de responsabilidade da empresa Publiconsult - Assessoria e Consultoria Pública Ltda., será válido por um ano, com possibilidade de prorrogação por igual período.
Os interessados poderão se inscrever por meio do site www.publiconsult.com.br, de 12 a 16 de janeiro de 2015, mediante o pagamento da taxa de R$ 15,00.
Farão parte das etapas de seleção dos profissionais, as seguintes fases: Prova de Capacitação Intelectual; Teste de Capacitação Física; Exame Psicotécnico; Pesquisa Social; Inspeção de Saúde; e Curso de Formação de Guarda Civil

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Suspeitos de assaltar fábrica da Samsung em Campinas são presos pela Polícia Civil

Aproximadamente 100 policiais participam da operação nesta terça-feira.

Foram expedidos 17 mandados de busca e apreensão, e oito de prisão.


Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo

Preso chega à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) 
(Foto: Fernando Pacífico/G1 Campinas)

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (16) um grupo suspeito de participação no mega-assalto a fábrica da Samsung, em Campinas (SP), ocorrido em julho. Foram expedidos 17 mandados de busca e apreensão, além de oito de prisão. Ao menos quatro pessoas foram presas em São Roque (SP), Taboão da Serra (SP), Osasco (SP) e na capital referentes aos mandados da "Operação Android", coordenada pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e que teve apoio do Grupo Armado de Repreensão a Roubos e Assaltos (Garra) e do Grupo de Operações Especiais (GOE). Todos os presos da operação especial chegaram à sede da delegacia entre 9h15 e 10h, e a previsão é de que sejam interrogados a partir de terça-feira.

De acordo com o chefe dos investigadores da DIG Campinas, Marcelo Hayashi, cerca de 100 policiais participaram da operação que começou às 6h e imagens obtidas na fábrica, após o roubo, foram fundamentais para identificação dos suspeitos. Outras cinco pessoas, entre elas três mulheres, foram detidas durante a operação com uma arma e oito quilos de pasta de cocaína em Jaguaré, na Zona Oeste de São Paulo. A princípio elas são investigadas por tráfico de entorpecentes e não há informações sobre a ligação delas ao roubo na multinacional.

A Polícia Civil informou que os quatro suspeitos de participação no mega-assalto tiveram prisão temporária decretada e serão encaminhados no período da tarde à cadeia anexa do 2º Distrito Policial de Campinas. Até a publicação desta reportagem, entretanto, não estava definido pela DIG se os detidos por tráfico de drogas serão indiciados e irão continuar presos.


Assalto na fábrica da Samsung em Campinas, SP, em julho de 2014 (Foto: arte/G1)

O Caso

A fábrica da Samsung foi assaltada na madrugada do dia 7 de julho, no Parque Imperador, às margens da Rodovia Dom Pedro I (SP-065). Segundo a Polícia Civil, aproximadamente 20 criminosos renderam funcionários e vigilantes, e usaram sete caminhões para levar cerca de 40 mil peças, entre tablets, celulares e notebooks. A carga é avaliada em R$ 80 milhões, de acordo com os policiais responsáveis pela investigação. Já a empresa informou que valor seria de R$ 14 milhões. Ninguém ficou ferido.

De acordo com a polícia, a quadrilha chegou à empresa poucos minutos depois da meia-noite. Durante a ação, funcionários do setor de distribuição da empresa ficaram em poder do bando. O grupo deixou o local por volta das 3h.

Segundo a polícia, funcionários da empresa que estavam em uma van foram rendidos em uma estrada. Eles foram levados para um local, ainda desconhecido, e os criminosos usaram crachás de identificação dos trabalhadores. Uma das vítimas ficou em poder do bando.

Ao entrar na Samsung, a quadrilha rendeu inicialmente os seguranças do setor de distribuição e, em seguida, os vigilantes da portaria. "Retiraram os armamentos deles e as munições e os deixaram trabalhando normalmente, nos mesmos postos como se nada tivesse acontecido", explicou naquele dia, o tenente da Polícia Militar Vitor Chaves.

Um funcionário que preferiu não ser identificado disse que a quadrilha pediu para todos tirarem a bateria dos celulares, com a intenção de evitar uma eventual ligação para a polícia.

Venda no Paraguai

A partir de informações da Polícia Civil e do serviço de inteligência da Samsung, a EPTV, afiliada da Rede Globo, flagrou, em agosto, no Paraguai a venda de celulares roubados durante o mega-assalto da fábrica de eletrônicos de Campinas em julho. Com uma câmera escondida, em Ciudad Del Este, a equipe da emissora comprou por R$ 1.740 um aparelho com a numeração que consta no lote roubado no Brasil. No comércio legal brasileiro, o eletrônico é vendido por aproximadamente R$ 2,5 mil. O smartphone adquirido pelos jornalistas foi entregue aos policiais que investigam o caso.

A equipe da EPTV circulou pelas ruas de Ciudad Del Este durante quatro dias até chegar à loja para onde parte da carga havia sido levada. No local, os repórteres perguntaram sobre um dos modelos que consta no lote roubado e um funcionário informa que possui o produto para vender. Os jornalistas são levados para os fundos da loja, onde o material fica guardado.

Outra vendedora da mesma loja apresentou uma versão mais moderna de um aparelho também fabricado pela Samsung em Campinas. Ela mostra as funções do smartphone e, durante a negociação, exibe um código estampado dentro do aparelho. Segundo ela, o número serve para que a garantia de dois anos seja acionada no Brasil.

“Não se preocupe, ele tem garantia no Brasil. Você vai registrar o código de IMEI para você ter a garantia internacional. Aqui, ó”, afirma enquanto mostra o adesivo abaixo da bateria, que indica, além do número, que o eletrônico foi fabricado no Brasil.

Os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, que investigam o roubo ocorrido em 7 de julho na fábrica de Campinas, afirmaram que o número apontado pela vendedora consta na lista apresentada pela Samsung dos produtos levados durante o mega-assalto. A caixa na qual o aparelho foi vendido é de outro aparelho da mesma marca e o número também bate com a relação da Polícia Civil.

Operação inédita

Foi um consumidor brasileiro que ajudou, quase sem querer, os investigadores a chegarem à carga. O homem comprou o celular em uma loja no Paraguai e, após enfrentar problemas para habilitar o aparelho no Brasil, ele procurou a assistência técnica que constatou que o smartphone era produto de roubo. A polícia foi avisada e, após sete dias de trabalho do setor de inteligência da DIG, a equipe chegou a um dos destinos da carga, em Ciudad Del Este.

Um grupo da Polícia Civil de Campinas atravessou a fronteira e cumpriu três mandados de busca e apreensão no mês de agosto. Com juiz e promotores paraguaios, os policiais dos dois países entraram em três lojas, uma delas a mesma onde a reportagem comprou o smartphone dias antes. No local, foram apreendidos pelo menos 15 celulares e vários relógios roubados em Campinas foram identificados. O dono foi detido.

Policiais do GOE entram na DIG com objetos apreendidos 
(Foto: Fernando Pacífico/G1 Campinas)

Fonte: g1.globo.com
com adaptações

Capitão da PM é preso pela PF por fraude contra o INSS no Rio de Janeiro



Rio de Janeiro/RJ – Um capitão reformado da PM foi preso hoje pela Polícia Federal em Niterói. Ele seria chefe de uma quadrilha que fraudava o INSS causando prejuízo de mais de R$ 5 milhões. Além dele, dois despachantes também estão envolvidos. Essa é a segunda fase da Operação Highlander.
Na residência do oficial preso, no bairro Engenhoca (Niterói), foram apreendidos R$ 97 mil em dinheiro, documentos falsos, carimbos alusivos a órgãos públicos, cartões de recebimento de benefícios previdenciários fraudulentos e extratos de saques de benefícios. No local também foram encontradas nove armas de fogo e cerca de 500 munições de uso restrito. O PM foi autuado em flagrante por posse ilegal de armas e munições.
A Operação contou com o apoio da Assessoria de Pesquisas Estratégicas do Ministério da Previdência Social. O grupo criminoso utilizava beneficiários fictícios, criados a partir de documentos falsos, para obter fraudulentamente benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição. Durante as investigações, os policiais federais verificaram que as fraudes vinham sendo perpetradas há mais de 20 anos.
Foram cumpridos um Mandado de Prisão Temporária, dois de Busca e Apreensão e dois de Condução Coercitiva, expedidos pela 2ª Vara Federal em São Gonçalo/RJ. Uma quarta pessoa ainda está sendo procurada.
O preso será transferido para a Unidade Prisional da Polícia Militar. Os integrantes da quadrilha responderão por estelionato qualificado, formação de quadrilha e falsificação de documentos, cujas penas podem chegar a 13 anos.
Setor de Comunicação Social da Polícia no Rio de Janeiro

Dupla é morta em troca de tiros com a polícia em São Cristóvão

Policiais faziam buscas por suspeitos de matar policial quando viram moto.
Suspeitos atiram contra a equipe e alguns disparos atingiram a viatura.

Revólver calibre 38 e uma pistola foram apreendidos com a dupla
(Foto: Divulgação/COE/PM-SE)

Dois homens foram mortos durante uma troca de tiros com policiais do Comando de Operações Especiais (COE), na noite deste domingo (14), no Povoado Cabrita, em São Cristóvão, na Grande Aracaju. De acordo com a Polícia Militar, era por volta das 19h30 quando os policiais realizavam buscas por outros suspeitos de envolvimento na morte de um sargento da reserva da PM, que ocorreu no início da manhã do domingo, em um sítio no Povoado Luiz Alves, em São Cristóvão.

Ao passarem por um determinado ponto, os policiais avistaram os dois homens em uma motocicleta. A equipe deu ordem de parada ao veículo e assim que desceram da viatura para realizar a abordagem, foram surpreendidos pela dupla que efetuou vários disparos. Alguns tiros atingiram a viatura do COE.

Ainda segundo a polícia, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para socorrer os suspeitos, mas eles não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Equipes do Departamento de Criminalística e do Instituto Médico Legal também foram acionadas.

Duas armas foram apreendidas com os suspeitos, segundo a polícia, um revólver calibre 38, que foi roubado no ano passado em um correspondente bancário na Rua Santa Catarina, na capital sergipana, e uma pistola .40 de uso restrito da polícia.

Crime em sítio

O sargento da reserva da Polícia Militar Manoel Messias foi assassinado por volta das 5h do domingo (14), durante um assalto a um sítio no Loteamento Cantinho do Céu, localizado entre os Povoados Luiz Alves e Cabrita, na cidade de São Cristóvão (SE). Quatro homens armados e com os rostos cobertos invadiram a propriedade e renderam o militar reformado e mais três pessoas. Outro homem que também estava fazendo a ordenha das vacas conseguiu se esconder e pedir ajuda policial.

De acordo com informações da Radiopatrulha, quando os criminosos encontraram a arma com o policial foram até o carro dele e encontraram algemas. “O PM chegou a dizer que era segurança e que por isso estava com a arma, mas quando eles encontraram as algemas constataram que ele era um policial e resolveram matá-lo. O sargento tentou fugir e correu, mas foi atingido com tiros nas costas”, afirma o tenente da Radiopatrulha, Alexandre Freitas.
Sargento conseguiu correr poucos metros até cair ferido e morrer no sítio 
(Foto: Reprodução/TV Sergipe)

Dois suspeitos levaram três reféns na traseira do carro modelo Saveiro do proprietário do sítio e os outros dois comparsas seguiram no carro do policial morto. Quando eles trafegavam pela Rodovia João Bebe Água se depararam com uma barreira policial da Radiopatrulha que contou com o reforço do Grupamento Especial Tático com Motos (Getam) para interceptar os veículos.

“Os criminosos atiraram contra a polícia que revidou e iniciou a perseguição logo que eles saíram dos carros e foram correndo pelo matagal”, relata Freitas. Buscas realizadas na região resultaram na prisão de dois suspeitos. Na casa de um deles a polícia encontrou munições de espingarda calibre 12 e as roupas utilizadas para cobrir os rostos dos assaltantes no momento do crime. Na residência do outro estava a arma calibre 12. Uma terceira casa foi verificada e nela foi encontrada uma escopeta de fabricação caseira, sem calibre definido.

“As vítimas reconheceram e confirmaram que são as mesmas roupas usadas do crime. As munições e as armas também possuem características que condizem com a ocorrência”, afirma o tenente da Radiopatrulha.

O caso foi registrado na Delegacia Plantonista de Aracaju (Deplan) e os suspeitos foram ouvidos pelo delegado Washington Sussumo Okada.

Fonte: g1.globo,com

Polícia apreende cerca de 600 quilos de cocaína no mar, no Norte de SC

Operação da Polícia Militar foi desencadeada após denúncia anônima.
Droga foi retirada da água na tarde desta segunda-feira, em Barra Velha.

Droga foi localizada no mar em Barra Velha (Foto: PM Barra Velha/Divulgação)

Cerca de 600 quilos de cocaína pronta para o consumo foram apreendidos no mar em Barra Velha, no Litoral Norte catarinense, em uma operação desencadeada pela Polícia Militar (PM). A droga foi encontrada dentro de tabletes plásticos distribuídos em boias azuis e estava a cerca de seis quilômetros distantes da orla. A operação foi deflagrada por volta das 15h desta segunda-feira (15).

Cocaína estava escondida dentro de bolsas
(Foto: PM Barra Velha/Divulgação)

De acordo com informações da PM, os agentes chegaram até a droga após uma denúncia anônima. O material foi retirado da água com o auxílio de barcos e pelo helicóptero Águia, da PM. Os entorpecentes passavam por contagem até o fechamento desta reportagem. No momento da apreensão, a pesagem da cocaína chegou a bater uma tonelada devido às embalagens molhadas que envolviam o produto.

Segundo a Polícia Militar, até as 19h20 foram contabilizados 526 pacotes com 1,1 quilo de droga pronta para o consumo, mas uma nova pesagem seria feita para confirmar o peso final. A investigação sobre como o material chegou até o mar da Praia Central de Barra Velha será feita em conjunto entre os órgãos de segurança. Nenhum suspeito de ter depositado a droga no local foi localizado.
Helicóptero ajudou nas buscas pelos entorpecentes (Foto: PM Barra Velha/Divulgação)

Promotor anuncia fortalecimento das polícias contra alta da violência em MT

Promotor Mauro Zaque deve chefiar a Secretaria de Segurança Pública.
Membro do MP, ele foi anunciado pelo governador eleito Pedro Taques.

Mauro Zaque deverá assumir a Secretaria de Segurança Pública em 2015. 
(Foto: Renê Dióz / G1)


Anunciado pelo governador eleito Pedro Taques (PDT) para chefiar a Secretaria de estado de Segurança Pública (Sesp) a partir de 2015, o promotor de Justiça Mauro Zaque, membro do Ministério Público (MP) em Mato Grosso, adiantou na última semana que deverá enfrentar os crescentes índices de criminalidade atualmente registrados no estado com um plano de combate emergencial logo nos primeiros dias de governo e principalmente com um programa de fortalecimento das polícias civil e militar, com aumento do atual efetivo das duas corporações.



“Instituições fortes prestam serviço de qualidade à sociedade. Já estamos trabalhando junto com o governador para que seja aberto um novo concurso público, para que nós possamos trazer um reforço tanto para os quadros da Polícia Civil quanto da Polícia Militar. Sem a presença da polícia nas ruas, é impossível fazer segurança preventiva e nós precisamos também dos quadros da Polícia Civil para fazer o trabalho de Polícia Judiciária, para que contra aquela pessoa que foi presa possam ser produzidas as provas para apreciação pelo Poder Judiciário”, anunciou o futuro secretário.


Na Sesp, Zaque deverá suceder o secretário Alexandre Bustamante, ex-chefe do Núcleo de Inteligência da Polícia Federal (PF) em Mato Grosso, após um ano traumático para muitos mato-grossenses. Estatísticas apontam que 2014 foi o ano mais violento da última década no estado, tendo o mês de novembro o maior número de homicídios registrados (foram 53 assassinatos). A própria Polícia Civil já se pronunciou apontando a falta de investimentos em segurança pública como um dos fatores que levaram à alta dos índices de criminalidade.

Além disso, segundo mencionou o próprio governador eleito, Mato Grosso também tem sofrido aumento na incidência de 12 dos 18 crimes levantados no Mapa da Violência, pesquisa do Ministério da Justiça.

Primeiras ações

O futuro secretário anunciou que o fortalecimento das polícias em Mato Grosso se seguirá a um plano já traçado de colocar em prática, já em janeiro, uma ação de impacto contra a criminalidade crescente no estado. Embora sem fornecer detalhes, o promotor explicou que as ações dos primeiros dias de governo estão baseadas num mapeamento dos casos de violência no estado.

“A população de Mato Grosso, infelizmente, vem sendo submetida a índices de violência quase que insuportáveis. Nós já temos mapeado áreas de violência com os eventos de violência específicos ocorrendo em cada área. Nós já temos estratégias que estão sendo pensadas e planejadas para serem postas em ação já em janeiro, com o objetivo de diminuir de forma drástica esses índices de violência”, anunciou.

Fortalecimento

Após as primeiras ações emergenciais de combate direto à violência, Zaque prevê um programa de fortalecimento das polícias civil e militar. Segundo ele, está sendo feita uma análise do aparato e da estrutura da segurança pública em Mato Grosso para que o estado invista na recuperação das instituições policiais e de seu efetivo, por meio de novos concursos públicos.

“É necessário trabalharmos e motivarmos as forças policiais, fortalecermos as instituições policiais para que nós possamos – aí sim – ter um combate efetivo à criminalidade. O importante é a sociedade saber que a polícia vai estar presente. Nós vamos valorizar as instituições policiais, a polícia vai estar nos bairros e nós não vamos dar espaço para a criminalidade”, assegurou.

O promotor argumenta que o estado precisa voltar sua atenção para a qualidade de vida e de trabalho do policial, muitas vezes submetido a cargas horárias estressantes e com uma estrutura precária para desempenhar seu papel. Soma-se a esta situação o fato de que o policial - civil ou militar - tem trabalhado com insegurança em relação à própria família, o que eleva o nível de estresse e, em casos que Zaque considera isolados, pode até contribuir para a violência por parte do próprio agente.

“Nós não vamos conseguir acabar com qualquer evento (ainda que isolado) de violência policial se nós não tivermos um projeto de atenção ao policial, de cuidado com o policial, de cuidado com a família do policial, seja ele civil, seja ele militar. Ele tem que estar bem atendido, ele tem que ter um conforto porque o trabalho policial é muito estressante”, defendeu Zaque, prometendo o incremento do número de policiais para a ação preventiva nas ruas e para as investigações.

Motorista é preso com 263 kg de cocaína na Raposo Tavares



Tijolos estavam escondidos nas laterais da carroceria

Ao todo, 263,1 kg de drogas foram encontrados

Um homem foi preso na Rodovia Raposo Tavares enquanto transportava 263,1 quilos de pasta base de cocaína, na manhã de sábado (13), na região de Presidente Prudente.

Equipes do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), da 2ª companhia do 2º Batalhão Rodoviário (2º BPRv), desconfiaram de um caminhão na altura do km 561+500 da SP 270. O motorista apresentava nervosismo e se contradisse algumas vezes.

Ao vistoriarem o veículo, os PMs encontraram diversos tijolos do entorpecente, escondidos em fundos falsos nas laterais e dentro de um estepe.

O condutor foi preso por tráfico de drogas e encaminhado para a Cadeia Pública de Presidente Venceslau. A droga foi apreendida e levada para a Delegacia da Polícia Federal da região.

Rodrigo Paneghine, com informações da Polícia Militar

fonte: SSP/SP

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

PM MATA 2 BANDIDOS E FERE UM EM TENTATIVA DE ROUBO EM JUNDIAÍ








fotos: https://www.facebook.com/pages/Comandos-e-Opera%C3%A7%C3%B5es-Especiais-COE/258018877689064

UM POLICIAL MILITAR LOTADO NO COE - COMANDO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA PMESP FOI VÍTIMA DE UMA TENTATIVA DE ASSALTO EM JUNDIAÍ..

O POLICIAL ESTAVA EM SEU CARRO QUANDO 3 BANDIDOS ANUNCIARAM O ROUBO, MOMENTO EM QUE O POLICIAL DEU VOZ DE PRISÃO AOS CRIMINOSOS COMEÇANDO ASSIM UMA TROCA DE TIROS. OS 3 CRIMINOSOS FORAM BALEADOS PELO POLICIAL DO COE, SENDO QUE 2 MORRERAM E UM FOI BALEADO NO BRAÇO.

O BANDIDO FERIDO TENTOU FUGIR, MAS FOI PRESO PELO PM LOGO DEPOIS SENDO QUE ESTE TEVE APOIO DE POLICIAIS DA ROCAM.

OCORRÊNCIA APRESENTADA NO PLANTÃO PERMANENTE DA POLÍCIA CIVIL DE JUNDIAÍ.