segurança

BLOG CRIADO PARA DIVULGAR A ATUAÇÃO DOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA PÚBLICA DO BRASIL, QUE 24 HORAS POR DIA, 7 DIAS POR SEMANA, ATUAM NA DEFESA E NA PROTEÇÃO DA SOCIEDADE.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

PF, PRF e Receita apreendem armas e munições no Paraná



Foz do Iguaçu/PR – A Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Receita Federal apreenderam 11 pistolas 9mm e 52 munições do mesmo calibre hoje, 26/11 em Santa Terezinha de Itaipu/PR. Um casal foi preso em flagrante.

Por volta das 6h20, os policiais abordaram um ônibus que fazia a linha Foz do Iguaçu/PR – Ponta Grossa/PR. Durante a fiscalização, os passageiros desceram do veículo e os policiais encontraram quatro armas que estavam dentro de embalagens plásticas de salgadinhos. Em consulta aos canhotos das passagens, foi constatado que um casal ocupava os lugares onde estavam as armas.

Durante revista pessoal no homem, foi localizado mais cinco armas presas ao tornozelo e à cintura do mesmo. Com a mulher, foram encontradas duas armas e 52 munições, guardadas na pochete em que ela carregava.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão em flagrante ao casal, 34 e 29 anos. Os presos, as armas e as munições foram encaminhadas à Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR

Suspeito de liderar organização criminosa fora dos presídios é preso em SP

Homem é um dos organizadores do plano de fuga de Marcola, descoberto no início do ano




ILUSTRAÇÃO GOOGLE IMAGENS: PC/SP


Apontado como principal nome do PCC (Primeiro Comando da Capital) fora dos presídios — e com um prêmio de R$ 5 mil para quem ajudasse na sua captura —, o foragido Márcio Geraldo Alves Ferreira, conhecido como Buda, de 32 anos, foi preso nesta terça-feira (25) pela Polícia Civil. Ele foi capturado em um acesso à avenida Aricanduva, na zona leste de São Paulo, em uma ação que terminou com um helicóptero da polícia pousando no carro do suspeito.

Buda é um dos organizadores do plano de fuga descoberto no começo do ano de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder máximo do PCC, da Penitenciária P2 de Presidente Venceslau, a 611 km da capital. A reportagem não encontrou advogados de Buda para comentar a prisão e as acusações.

Suspeito também de liderar o tráfico de drogas da zona norte, ele foi detido depois de obedecer ordem para parar o carro e não ofereceu resistência. Estava em um veículo, sozinho, e, quando detido, tinha uma carteira de motorista, um título de eleitor e um certificado de reservista falsos.

Buda foi preso pela Delegacia de Vigilância e Capturas depois de três meses de buscas. Nesse período, segundo a polícia, ele frequentava a zona norte apenas para comandar as operações criminosas de tráfico da facção — passou a viver com a família em São José dos Campos, a 97 km da capital.

Maconha

Durante a perseguição ao foragido, a polícia acabou apreendendo 2,5 toneladas de maconha, sendo "uma tonelada no mês passado e uma e meia na semana passada", de acordo com o delegado encarregado da ação, Fabio Sandrim. Os carregamentos foram descobertos à medida que os policiais obtinham novas informações sobre o possível paradeiro do foragido: os policiais iam atrás de pistas de Buda, que escapava, mas apreendiam as drogas que ele comercializava, ainda segundo o delegado. 

— O crime organizado tem lideranças. Ele certamente será substituído por outra pessoa que manterá o tráfico.

Enquanto seguiam nova pista, nesta terça, policiais em um carro descaracterizado cruzaram com o de Buda na Rodovia Presidente Dutra.

— Pedimos reforço de viaturas caracterizadas e do Pelicano [o helicóptero da Polícia Civil]. Não sabíamos se ele estava sozinho, se tinha armas.

Havia três mandados de prisão contra Buda, por porte de armas, falsificação de documentos e extorsão mediante sequestro. Em 2010, ele deixou o Centro de Progressão Penal de Rio Claro, no interior, onde cumpria uma de suas penas, e não voltou mais. Era foragido desde então.

Dez mais

Buda figurava na lista dos dez criminosos procurados do Estado desde julho do ano passado - quando o ranking ela liderado pelo ex-médico Roger Abdelmassih.

— Não demos tanto destaque para ele [Buda] porque muita exposição poderia atrapalhar a investigação. Mas ele que era, de fato, o fugitivo mais procurado de São Paulo.

Fonte: r7.com

PF apreende armas e munições na Ponte da Amizade


PF apreende armas e munições na Ponte da Amizade






















Foz do Iguaçu/PR – A Polícia Federal prendeu, ontem, 25/11, uma mulher que transportava duas armas, quatro carregadores e 151 munições. A ação contou com o apoio da Receita Federal.
Policiais federais e servidores da Receita Federal realizavam trabalho de fiscalização na aduana da Ponte Internacional da Amizade. Por volta das 17h, eles abordaram um mototáxi de placas paraguaias e perceberam que havia um volume anormal nas costas da passageira.
Uma servidora da Receita Federal revistou a mulher e descobriu que ela transportava armas, carregadores e munições presos à cintura, sob uma cinta modeladora.
Diante dos fatos, foi dada voz de prisão em flagrante à passageira, de 23 anos de idade, que confessou estar transportando as armas e as munições até o Rio de Janeiro/RJ.
A presa, as armas e as munições foram encaminhadas à Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu.
 fonte: DPF

Polícia detém suspeitos de impor toque de recolher em SP

Foram detidos dois adultos e dois adolescentes, todos homens, na região do Parque Novo Mundo
Ônibus é incendiado dentro do terminal Cidade Tiradentes, na zona leste de SP, na noite de terça-feira
Mario Ângelo/Sigmapress/Estadão Conteúdo

A Secretaria de Estado da Segurança Pública informou na manhã desta quarta-feira (26), que quatro pessoas foram detidas pela Polícia Civil na noite de terça-feira (25), enquanto ordenavam que comerciantes da zona norte de São Paulo fechassem suas portas, impondo o toque de recolher que ocorreu no mesmo horário em que ônibus e carro eram queimados por criminosos da região.

Foram detidos dois adultos e dois adolescentes, todos homens, na região do Parque Novo Mundo, bairro próximo à Rodovia Presidente Dutra. Os adultos foram levados à 4.ª Delegacia Seccional de São Paulo, na zona norte, acusados de associação criminosa. Um deles pagou fiança e outro permanece preso em flagrante. Já os adolescentes foram encaminhados à Fundação Casa.

A Polícia Civil informou também, por nota, que foram identificadas 12 pessoas que participaram do atentado contra um ônibus na Avenida Zaki Narchi, a cerca de 200 metros do Deic (Departamento Estadual de Investigação Criminal), o órgão de inteligência da polícia paulista. "Sete maiores de idade seriam os mentores e cinco jovens teriam executado a ação", diz o texto. Agora, policiais trabalham para capturar os suspeitos.



Caos

A terça-feira (25) foi marcada por confusão e protestos em São Paulo e na região metropolitana. No rodoanel, o trânsito foi bloqueado e uma pessoa morreu. Quatro suspeitos de ordenar o fechamento do comércio na zona norte da capital foram levados à delegacia durante a noite. Dois deles são menores de idade. Outros dois adolescentes já haviam sido apreendidos no fim da tarde. 

Por medo, os comerciantes fecharam as portas e liberaram os funcionários mais cedo. O toque de recolher seria uma represália contra a morte de Jeorge Vieira Ponciano, de 39 anos, no último domingo (23). Ele era dono de uma pizzaria e suspeito de intergrar uma facção criminosa que age dentro e fora dos presídios. Enquanto lojas fechavam as portas, também na zona norte, outro ônibus foi incendiado bem perto da sede do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais). 

Um carro também foi atingido. Neste caso, o protesto foi contra uma ação da PM (Polícia Militar), também no domingo, que terminou com três suspeitos feridos por tiros. Na mesma hora, em Osasco, na Grande São Paulo, moradoresbloquearam o rodoanel, importante rodovia ao redor da capital. Duas carretas e dois automóveis foram incendiados. A polícia atirou bombas para dispersar os manifestantes. 

Como o trânsito estava parado, muitos motoristas saíram dos veículos e ficaram na rodovia. Assim que as pistas foram liberadas, um ajudante de caminhoneiro acabou prensado por dois caminhões. Carlos Donizete Martins da Rocha, de 49 anos, chegou a ser socorrido, mas morreu no local. 

No fim da noite, outros dois ônibus foram atacados na zona norte. Nos dois casos, os próprios motoristas conseguiram apagar o fogo.

fonte: r7.com

Suspeitos de roubo a carro morrem em confronto com PM em Campinas

Dupla tentou fuga, mas bateu veículo durante perseguição do Baep.
Com carro roubado, eles teriam atirado contra policiais que revidaram.

google imagem


Dois suspeitos de roubarem um carro no bairro São Martinho, em Campinas (SP), foram mortos após confronto com policiais do Batalhão de Ações Especiais (Baep), da Polícia Militar, durante tentativa de fuga na madrugada desta quarta-feira (26). As mortes ocorreram na Vila Padre Anchieta, onde os suspeitos perderam controle da direção e bateram o veículo roubado durante perseguição. Na troca de tiros, os dois foram atingidos e morreram no local.

De acordo com o tenente do Baep Nelson Santini, uma mulher foi rendida próximo à Rodovia Anhanguera por dois criminosos armados que levaram o carro dela. A vítima acionou a PM pelo 190 e uma viatura do batalhão se deparou com o carro, identificado pela placa, e iniciou a perseguição. Após bater contra uma paerde, um dos suspeito tentou fugir a pé e o outro ficou preso dentro do carro por conta dos danos da batida. Segundo a polícia, os dois foram baleados porque atiraram antes contra a equipe que tentava efetuar a prisão.
Suspeitos de roubo morrem em Campinas após confronto com o Baep 
(Foto: Reprodução / EPTV)

"Os policiais verbalizaram várias vezes para eles se entregarem, porém, eles quiseram tentar a sorte para conseguir a fuga. Quiseram atirar contra os policiais para tentar fugir, ou para tentar balear um policial e fugir depois, mas felizmnte os policiais estão sãos e salvos", afirmou o oficial.

Um dos suspeitos, o que tentou fuga a pé, usava uma pistola .40 com a numeração raspada. O segundo baleado tinha um revólver calibre 38. Um dos mortos não havia sido identificado até a manhã desta quarta-feira.

fonte: Do G1 Campinas e Região

Policial deixa bebê cair no chão para poder reagir a atentado em Campinas

PM estava com filha de 3 meses no colo quando foi abordado em Campinas.
Bebê caiu enquanto o policial se livrava do suspeito, que terminou baleado.

Um policial militar reagiu a um atentado enquanto carregava a filha de 3 meses no colo, em Campinas (SP), na noite desta terça-feira (25). Imagens registraram o momento em que a filha cai no chão e, na sequência, ele atira no suspeito. O vídeo foi gravado por câmeras de segurança da rua do bairro Parque Via Norte e divulgado nesta quarta (26). O suspeito anda sozinho com uma mochila preta, observa a família do PM parada em frente à casa, retorna e faz uma ameaça usando a bolsa. Sem a farda e com a bebê em um dos braços, o agente se prepara para sacar a arma. Quando o suspeito segura o braço do PM, ele solta a criança e atira no ladrão.

Logo que a bebê cai no chão, o sogro do PM resgata a criança e entra correndo na residência. O agente faz vários disparos contra o criminoso enquanto a cunhada corre por trás do suspeito para ajudar a pegar a bebê. Ela não ficou ferida. A bebê teve ferimentos leves e passa bem.

De acordo com a Polícia Militar, um homem baleado com ferimentos graves deu entrada em uma unidade de saúde de Monte Mor horas depois da ocorrência e, em seguida, foi transferido para o Hospital Estadual de Sumaré, onde está sob escolta da PM. Ele chegou a se identificar com um nome falso, mas foi reconhecido pelo agente que atirou contra ele. A Polícia Civil informou que vai ouvir o depoimento do suspeito antes de confirmar o envolvimento.

O homem é foragido do Centro de Detenção Provisória de Mirandópolis (SP) e foi preso anteriormente por roubo e tráfico de drogas, de acordo com a PM.

O caso foi registrado pela Delegacia Seccional como tentativa de roubo, mas a investigação não descarta a possibilidade de um atentado especificamente contra o policial.

Submetralhadora teria sido usada

Segundo a Polícia Civil, o policial estava com o sogro, a cunhada e a filha na porta da casa, quando o criminoso fez a abordagem. Ele teria feito menção de estar com uma submetralhadora com silenciador e ameaçou atirar caso todos não entrassem com ele na casa. O suspeito foi baleado e fugiu, com a ajuda de um comparsa, em um carro preto da marca Honda. O veículo produto de roubo foi apreendido no bairro Sete de Setembro.


Bebê está caído no chão enquanto policial atira em suspeito em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)

fonte: G1 Campinas

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Aprenda com os policiais mais experientes! -------> (O melhor manual de bolso do Policial, se você é profissional, leia com atenção e depois releia).

23/11/14 - Por Humberto Wendling: Após 13 anos de serviço, uma das coisas mais importantes que fiz foi ouvir e observar os policiais mais antigos ou experientes, principalmente durante os seis anos em que trabalhei na Delegacia de Repressão a Entorpecentes da SR/DPF/MG. O termo ANTIGO é relativo, pois pode significar alguns anos a mais de serviço ou a experiência prévia trazida de outra força policial. Mas mesmo assim esses policiais sabem das coisas.






Então, o segredo é ouvir os policiais experientes, acreditar nas histórias que contam e colocar seus ensinamentos em prática na sua própria vida. “Quando você estiver chegando, tire o cinto de segurança!”; “Eu só atiro quanto tenho certeza!”; “Se puder beber, comer e descansar; beba, coma e descanse. Você não sabe quando poderá fazer isso de novo!”; “Policial não trabalha sozinho!”; “Calma! Ele vai continuar traficando, então a gente prende ele depois!”; “Algeme pra trás!”; “Fale pouco e ouça muito!”; “Não vá fazer m... hein!” e “Polícia não foi feita pra ajudar ninguém, mas no mínimo para atrapalhar!” são algumas frases que ouvi destes policiais.


Portanto, o que eu aprendi a partir disso abrange desde técnicas de sobrevivência até regras de comportamento que talvez tenham salvo minha vida em ocasiões que eu sequer percebi.


Não acredite em ninguém

Provavelmente, uma das coisas mais importantes que aprendi nesses anos é que as pessoas mentem. E não importa se são avós, pais, filhos, esposas, maridos, irmãs, irmãos, vizinhos, amigos, trabalhadores, desempregados, ateus, crentes, testemunhas ou mesmo suspeitos, pois todos eles mentem. Apesar de não mentirem sempre, com certeza todos eles mentem quando você conversa com eles.

Criminosos sempre mentem. Sempre. E eles vão lhe encarar direto nos olhos, transparecendo seriedade e inocência, e você será tentado a acreditar neles. Não acredite, porque eles estão mentindo.

Observe as mãos

Se um suspeito for lhe atacar, ele vai usar as mãos. Então, algeme qualquer um que transmita a impressão de que vai dar mais trabalho, mesmo que ele não goste disso. “Minha segurança em primeiro lugar, depois o sentimento alheio!” foi o que ouvi de alguém. Certa vez um preso me disse que eu não precisava algemá-lo porque ele iria se comportar. Bem, eu o algemei e disse que aquilo era para a segurança dos policiais e não pra dele. Ele não gostou nada, mas o fato é que eu ainda estou vivo, e aproveitando cada dia de sol. Lembre-se, quem diz como o trabalho policial deve ser feito é você e não o preso.

“As mãos matam!”. Foi o que disse um professor de tiro da Academia Nacional de Polícia. Então, observe as mãos constantemente já que você estará correndo risco até que consiga controlar as mãos do criminoso. Além disso, nenhuma academia de polícia ensina como algemar presos pela frente; e se o mundo inteiro algema criminosos para trás, você deve fazer o mesmo.

Sempre trave sua algema. Se ela não dispõe de um sistema de trava, então você deve descartá-la. Por quê? Porque todo delinquente é mentiroso, chato e folgado. Por isso, se sua algema não estiver travada, ele vai reclamar que ela está apertando até que você o algeme para frente. O problema é que algemado para frente, o bandido pode fugir, lutar contra você ou sacar sua arma.

Se você estiver entrevistando um suspeito e ele olhar para um lado, depois para o outro, e então sobre os seus ombros, provavelmente ele está procurando um lugar para onde correr. Algeme-o antes que ele fortaleça esta ideia e tome uma decisão.

Não adquira o hábito de colocar suas próprias mãos nos bolsos ou cruzar os braços na frente de um suspeito. Isso pode transmitir a impressão de que você é relaxado ou negligente. Além disso, você pode precisar dessas mãos para se defender. Então, é preciso que elas estejam disponíveis logo.

Faça uma busca pessoal. Faça outra busca pessoal

Em 28/05/2009 um policial civil foi assassinado e três foram feridos durante a condução de um preso. O preso foi detido pela Polícia Militar por estar embriagado e perturbando a ordem.

O suspeito foi levado à delegacia da Polícia Civil de Confresa/MT e colocado numa cela. Ao ser retirado do local, ele tirou um canivete da cueca e golpeou os policiais.

O investigador O.S. foi atingido no ombro e morreu em seguida; a escrivã A.G. recebeu dois golpes, um na cabeça e outro quase no pescoço; o policial M.M. foi gravemente ferido no abdômen e a investigadora M.S. também foi ferida.

O preso só foi contido quando a policial R.M.M. atirou na perna dele. Ao que tudo indica, as buscas pessoais realizadas pelas polícias foram mal conduzidas ou não foram feitas.

Portanto, se outro policial lhe entregar um preso, faça uma nova busca pessoal antes de assumir a custódia, mesmo que você tenha acabado de ver aquele policial fazer isso.

Faça uma busca pessoal em qualquer pessoa que esteja perto o suficiente para manter contato físico numa situação que pode se tornar crítica ou se você tiver a menor suspeita sobre algo.

Se você não se sente à vontade em “apalpar” alguém, você ainda pode realizar uma busca pessoal minuciosa. Assim, leve o suspeito até um cômodo reservado (cela, quarto, etc.) e mande que ele retire toda a roupa, mas uma peça de cada vez que deve ser entregue na sua mão. Reviste cada peça de roupa. Ordene que o suspeito, ainda nu, se agache de frente e de costas. Mande que ele levante os braços e depois as solas dos pés. Ordene que ele esfregue os cabelos com as mãos, depois abra a boca e ponha a língua para fora.

Dê uma geral em qualquer pessoa que entre na viatura, mesmo que seja aquele informante que já ajudou a polícia centenas de vezes. Afinal, informantes também são criminosos. Faça o mesmo ao colocar ou retirar um preso da cela. Reviste os bancos e o cubículo da viatura antes e depois de colocar um custodiado dentro do carro. É quando você pode achar drogas, lâminas, anotações, celulares, armas, etc.


Armas e equipamentos

Sua arma deve estar pronta, envolvida por um coldre de qualidade ou por suas mãos, e de mais ninguém. Dedo fora do gatilho. Já falei sobre isso em outros artigos.

Leve um carregador sobressalente. Se puder leve dois carregadores reservas. Conheço um policial que disparou 15 tiros contra dois assaltantes armados. Num piscar de olhos o policial ficou sem munição, mas por sorte os criminosos também ficaram sem munição. Você provavelmente deve conhecer casos semelhantes. Então, aprenda com as experiências dos outros.

Só atire quando tiver certeza de que é para salvar sua vida ou a de outra pessoa. Armas foram feitas para incapacitar pessoas, e muitas vezes até isso é difícil. Tiros não param aviões, automóveis ou motocicletas a não ser que você acerte o condutor – o que normalmente não é uma ideia razoável. Tiros também não abrem portas, sendo provável que o projétil atravesse a porta e acerte um inocente. Já vi esse tipo de ocorrência duas vezes!

Tenha sempre à mão um canivete tático dobrável e um alicate multifuncional. Certa vez, durante uma operação de DRE, aquela velha camionete D-20 de cor azul teve o cabo do acelerador quebrado numa estrada entre os municípios de “São Ninguém” e “Lugar Algum”. Mas foi o alicate multifuncional e um pedaço de arame de um antigão que nos tirou dali. Ele olhou para mim sorrindo e disse: “É pra isso que eu carrego estas coisas!”

Em algumas situações você pode levar alternativas menos letais, como um spray de pimenta, um bastão retrátil. Um bastão é o melhor substituto para a coronha de uma arma e para as mãos. Imagine que você precise quebrar o vidro de um carro para socorrer alguém. Sem esta ferramenta, talvez você se sinta forçado a quebrar a janela usando objetos que não foram desenvolvidos para tal fim.

Isso me lembra uma orientação muito importante: proteja suas mãos. Como são elas que vão salvar sua vida, você não deve fazer com elas aquilo que deve ser feito com uma ferramenta. Não ponha as mãos nos bolsos de um suspeito porque você pode ser ferido por lâminas ou agulhas.

Compre uma caixa de luvas de látex para procedimentos (luvas cirúrgicas). A caixa com 100 unidades custa cerca de R$ 15, o que é pouco pela proteção oferecida contra a imundice e o mau cheiro que normalmente são encontrados nas casas de pessoas investigadas. Recentemente, recebi um e-mail de um colega (que ganha R$ 7.500,00 por mês) dizendo que não iria comprar um kit de limpeza de arma (que custava R$ 20,00) porque isso era tarefa da União. Espero que ele compre pelo menos a caixa de luvas que custa 25% menos!

Cuidado com objetos que parecem inofensivos

Pessoas desesperadas podem atacá-lo com qualquer objeto à mão, especialmente na cozinha, no gabinete ou no cartório. Portanto, tenha cuidado com canetas, grampeadores, ferramentas, tesouras, facas, garrafas, etc. Lembre-se, observe as mãos e as algeme se suspeitar de algo.

Luzes

Compre uma lanterna de qualidade. Ser capaz de ver bem é tão importante quanto estar armado. Jamais compre estas lanterninhas xing ling que são vendidas nas feirinhas de importados. Compre logo uma lanterna Surefire, Streamlight, Fenix, Blackhawk, Inova, Ultrafire ou Pelican para situações táticas. Tenha sempre uma Mini Maglite 2AA ou Police para buscas diversas (o que economiza a bateria e a vida útil da lanterna tática) e uma lanterna de bolso 1AAA afixada no chaveiro do seu carro para as emergências.

Isso pode parecer um exagero, mas infelizmente tudo que depende da energia elétrica cedo ou tarde falha ou apaga.

Cuidado ao dirigir a viatura ou perseguir alguém a pé

Não dirija como um doido e ziguezagueando pelas ruas, mesmo numa situação de emergência. As pessoas demoram a ouvir as sirenes, a entender o que está acontecendo e o que devem fazer. Com uma viatura é muito fácil você chegar num cruzamento antes que os outros motoristas percebam. E se você se envolver num acidente, sua missão acaba aqui porque você não poderá ajudar ninguém se estiver incapacitado. Portanto, mantenha-se na faixa da esquerda, pois é isto que manda o código de trânsito e é o que os outros motoristas esperam que você faça.

Se você estiver perseguindo um criminoso a pé e notar que seus colegas sumiram, pare – eles terão dificuldade para encontrá-lo caso você precise de ajuda. Se você estiver perseguindo um criminoso e de repente ele sumir, pare – talvez ele tenha preparado uma emboscada.

Portanto, não banque o herói. Haverá outra chance para você prendê-lo algum dia ou ele será morto por um desafeto. De qualquer modo, você vence.

Entrevistando suspeitos

A primeira coisa que você deve fazer ao entrevistar algum suspeito é evitar perguntas idiotas. Isso parece óbvio, mas mesmo assim cito algumas perguntas que já foram feitas. Prepare-se! “O que você comeu hoje?”, “Você está armado?”, “Onde está a droga?”, “Este documento é falso?”, “Você vai fugir?”, “Esta arma é sua?”, “Por que você não diz a verdade?”.

O segundo aspecto numa entrevista é deixar que o suspeito fale. Quanto mais ele fala, mais mentiras ele conta. Ouça o que ele diz, tome nota e confira as informações. Se forem falsas, simplesmente diga ao suspeito que ele está mentindo e que você sabe disso.

Quando você tiver alguém sob sua custódia, jamais comente assuntos relacionados à investigação. Não diga como você chegou até ele, nem revele qualquer informação que possa ser utilizada por ele para aperfeiçoar suas técnicas criminosas. E jamais conte o que ele fez de errado para que você conseguisse pegá-lo. Isto dificulta o trabalho da polícia depois. Recentemente, um preso reclamou que a polícia havia entrado muito cedo em sua casa. O policial respondeu que na verdade a polícia estava no local às 05h30, mas que ela só poderia entrar no local a partir das 06h. O policial ainda disse que era costume aguardar alguns minutos pra que todos os relógios marcassem este último horário. Em outra ocasião, um policial disse ao preso que tinha sido muito fácil prendê-lo porque ele foi desatento e não percebeu que estava sendo seguido. Infelizmente, alguns policiais querem mostrar que são bons profissionais, e acabam revelando informações que não deveriam.

Dê atenção ao instinto

Sempre use o bom senso. Sempre. E se você sentir que há algo errado, simplesmente acredite que há algo errado. Mantenha este foco mental até ter certeza se está tudo bem.

Sempre confie na sua intuição. Sempre. É o acúmulo das experiências que fazem sentido para você e que está trabalhando de modo subconsciente para mantê-lo a salvo. Isso me leva ao item “Não acreditem em ninguém”.

Abra seus olhos

Saiba que não existem presos “tranquilos” ou “gente boa”. As unidades prisionais espalhadas pelo país estão repletas de ladrões, assaltantes, homicidas, latrocidas, estelionatários, falsários, sequestradores, torturadores, estupradores, traficantes, etc. E nenhum deles é “gente boa” ou “tranquilo”. Se você ainda tem alguma dúvida, basta perguntar às vítimas!

Dos direitos dos presos

O artigo 42 da Lei 7.210/84 diz o seguinte: “Aplica-se ao preso provisório e ao submetido à medida de segurança, no que couber, o disposto nesta Seção.” A expressão NO QUE COUBER implica dizer que o preso não tem direito a tomar cafezinho, comer pão de queijo, fumar um cigarrinho, perambular pela delegacia como se fosse um funcionário ou ficar abraçadinho com a namorada.

Sugestões

Há dezenas de dicas que você pode acrescentar neste texto para torná-lo melhor. Faça isso e depois leia o artigo de vez em quando.

E não se esqueça de preparar uma BOROCA. Mas se você não sabe o que é isso, pergunte aos colegas mais antigos ou experientes.

*Este artigo é também uma homenagem aos colegas com quem tive a oportunidade de aprender na SR/DPF/DF, na DRE/SR/DPF/MG, no SAT/ANP e na DPF/UDI/MG.

Humberto Wendling é Agente de Polícia Federal e professor de Armamento e Tiro lotado na Delegacia de Polícia Federal em Uberlândia/MG.
E-mail: humberto.wendling@ig.com.br

Fonte: Blog Comunidade Policial

Fotos: google imagens

EXCELENTE TEXTO E AULA DE SOBREVIVÊNCIA POLICIAL, MUITO BOM, VALE A DICA.

domingo, 23 de novembro de 2014

Polícia Civil apreende mais de 180 quilos de drogas na capital de SP


Os cerca de 180 quilos de drogas foram encaminhados para perícia no IC

A Polícia Civil apreendeu entre terça-feira (18) e hoje (19) mais de 180 quilos de maconha, cocaína e crack, durante uma operação contra o tráfico de drogas na zona sul da capital. Na ação, um homem foi preso.

Após campana, policiais da DISE (Delegacia de Investigações sobre Entorpecente) flagraram na terça R.A.S., de 38 anos, carregando um pacote com dois tijolos de maconha. Mais outros 93 tijolos da droga - totalizando 78 quilos - foram localizados embaixo de um berço na casa do suspeito, no bairro Cidade Ademar.

No dia seguinte, os investigadores localizaram uma residência onde eram armazenadas drogas, no Jardim Luso. Foram recolhidos mais 111 tijolos de maconha e 125 trouxinhas do entorpecente - que somam 100 quilos -, 750 pinos de cocaína e 510 gramas de crack.

Os policiais encaminharam as drogas para perícia no Instituto de Criminalística (IC). 

Leonardo Amorim

Fonte: SSP/SP

BOPE realiza operação em Santa Cruz



Policiais do BOPE estão operando nesta sexta-feira, 21/11, nas comunidades do Rola e Antares em Santa Cruz.

Na ação um homem foi ferido e socorrido ao Hospital Pedro II, mas não resistiu aos ferimentos. Em Antares, os policiais prenderam um homem, vulgo Ronaldinho, e apreenderam 01 fuzil Parafal calibre 7,62, 01 pistola 9mm, 02 tabletes de maconha, 1.436 trouxinhas de maconha, 450 sacolés de cocaína, 630 frascos de cheirinho de loló, 07 carregadores , 01 luneta, 02 bases de rádio e 05 rádios de comunicação.

As ocorrências seguem para registro na 36ªDP.

fonte: PMERJ

Guarda Municipal de Jundiaí estoura laboratório de drogas



Uma grande quantidade de entorpecentes foi apreendida pela Guarda Municipal de Jundiaí na tarde deste sábado (22) na baixada paranaense no Jardim Tamoio.

Segundo informações, enquanto os guardas Gasparetto, De Paula, Albanez, Monique e Cruz realizavam o patrulhamento comunitário no bairro, um indivíduo a uma certa distância disparou contra a viatura. Os guardas passarão então a seguir o suspeito que conseguiu fugir através de uma viela. 

No percurso, os guardas suspeitaram de uma residência que estava aberta e sem ninguém nas proximidades.

Assim que entraram na casa, foi descoberto uma laboratório de drogas com mais de 3500 porções já embaladas entre cocaína, maconha, crack, haxixe e lança-perfume.

Ao lado, os guardas localizaram ainda, um colete a prova de balas, balanças de precisão, e diversos materiais para o refino da droga.

De acordo com os guardas, foram quase 45 quilos de drogas apreendidas.

Ninguém foi preso.

As drogas foram recolhidas e levadas até o plantão policial onde todo o material foi apreendido pelo delegado de plantão .

por Luciano Guerino
foto Luciano Guerino

Assessoria de Imprensa GMJ